25 anos do Código de Defesa do Consumidor: comemoração ou luto no Procon/SP?

Os funcionários do Procon/SP estão atordoados. Pela primeira vez em muitos anos, o tradicional Encontro Estadual de Defesa do Consumidor não foi realizado. Seria o 31º, no ano que em o CDC está completando 25 anos.

O evento certamente seria mais um marco na história da defesa do consumidor se tivesse sido produzido por quem tem verdadeiro compromisso com a causa consumerista e com o Procon/SP. Entretanto, pela própria programação anunciada, ficou evidente que o encontro não chegaria nem perto do que a data mereceria. A data e nós, funcionários, que há anos fazemos, e muito bem, a devida defesa do consumidor.

Paciência. Ao menos a tradição seria mantida. Mas de forma irresponsável e para a surpresa de todos, o encontro foi cancelado no final da tarde do dia 08/09/15, menos de 48 horas antes do primeiro dia do evento. Tudo, é claro, já estava preparado: local, palestrantes, material gráfico, inscrições etc.

Muitos dos que pretendiam participar são de fora de São Paulo, de outros municípios e estados, e nem todos ficaram sabendo do cancelamento a tempo de evitar a viagem até aqui. Alguns vieram e foram surpreendidos, no local, com a notícia do cancelamento.

Desrespeito máximo com o público, que sempre nos prestigiou, com os palestrantes convidados e com todos que prezam o significado e a importância dos encontros promovidos pelo Procon/SP. Desrespeito com os funcionários, mais uma vez (devem estar querendo que a gente se habitue a isso, mas não vai acontecer).

A justificativa foi primária, além de inaceitável. Os custos não foram evitados. A determinação do governo do estado de reduzir as despesas foi anunciada no início do ano. Alguém disse: “se foi pra desfazer, por que é que fez?”. Ficou muito pior. A Fundação teve que arcar com custos de uma ação não realizada. Merecíamos a verdade, mas não nutrimos essa ilusão. O descompromisso com os rumos da Fundação fica cada vez mais patente.

A manifestação que havíamos programado também não foi realizada, no entanto é como se tivesse sido, já que todos acreditam que esse foi o real ou principal motivo do cancelamento do encontro. Então, saímos de mais essa fortalecidos, apesar de profundamente entristecidos.

No dia de hoje, histórico, declaramos luto e luta oficiais. Ainda nos orgulhamos muito do nosso trabalho. A vergonha que sentimos agora é alheia!

5 comentários em “25 anos do Código de Defesa do Consumidor: comemoração ou luto no Procon/SP?

  1. Nesse momento é muito difícil compartilhar com o senhores o que eu gostaria de fato colocar.
    Um misto de revolta com os caminhos trilhados pela Fundação e pura emoção, ao ver pelo que lutamos para construir e consolidamos ser sucateado a cada dia…
    Experiências terríveis demonstram hoje que o caminho politico desassociado do técnico tomado deixa o maior e o mais antigo órgão de Cidadania e de Defesa do Consumidor, dobrado, triste, inerte e abandonado.
    Dia 23/11/2015 o formato evolutivo do PROCON, transformado em uma Fundação completa 20 anos.
    Sonhos, energia empregada na criação desse formato, na década de 80 consolidamos em 1995,sonhávamos também com uma Associação de Funcionários, sonhos realizados, creio que minha matricula na AFProcon deva ser a de nº8.
    A Fundação é maior que o “mandato”, ela é maior que as pessoas que passam sem o compromisso e espirito público, cabe ao “exército azul” buscar um resgate do Movimento Consumeirista, cabe a tentativa de demonstrar uma linha coerente ao menos com a história do nosso querido órgão.
    A alma do Procon sempre foi e sempre sera seus funcionários.
    Torcendo muito para que uma luz baixe ai e que a Fundação se fortaleça, que seus funcionários sejam respeitados, que sejam tratados com dignidade, pois nós, a população Paulista precisamos de vocês fortes.
    Boa sorte e aqui torcendo ….
    Abraços “JÚNIOR “

  2. Após alguns anos de Procon vejo se repetir as situações de outras campanhas salariais que normalmente dão em nada, seja pela falta de empenho dos colegas funcionários, seja por receio de aborrecer o “rei” e perder as tão cobiçadas supervisoes e outros que tais…
    Pela primeira vez temos uns situação que nos permite “dar as cartas” já que todos que comandam a fundação (com minúscula mesmo porque a cada dia que passa ela se a pequena e afunda) são indicações políticas e não colaboram em nada para a tão desejada retomada e recolocação do Procon no lugar de destaque que sempre esteve…
    Chega de reuniões para avaliar a situação, pois como bem disse o atual presidente da afprocon numa das ridículas campanhas anteriores a situação está cada vez pior e se naquela época ele se dizia decepcionado com a falta de empenho e interesse dos funcionários , agora a decepção e a insatisfação é geral…
    Não deixemos que a atual gestão trate os funcionários muito menos a fundação como tratavam as anteriores…rindo e fazendo pouco caso da “desorganização ” para a campanha…
    Manuel, a hora é agora…Chega de desmandos, chega de manipulação, quem dirige a fundação ESTÁ no cargo. ..nós TEMOS os nossos cargos….Embora possa parecer radical e até infantil O PROCON É NOSSO!!!! A gente da a cara pra bater para eles levarem os créditos….

  3. É Lamentavel essa situação em que a fundação Procon SP se encontra, nós do interior e grande SP estamos pasmos com o cancelamento do encontro às vesperas do mesmo, desrespeitando todos os principios básicos da nossa ” carta maior” que é o CDC – o aniversariante do dia – luto no segmento. Que o nosso governador sensivel as causas do povo resolva essa questão, colocando na Fundação uma equipe técnica a altura da importância da Fundação SP .

  4. Cortar os cargos comissionados ninguém quer né? Infelizmente a Fundação nunca foi um lugar onde prestigia e valoriza seu corpo funcional, não é a toa que perde muitos talentos todos os anos e os que permanecem se sentem cada vez menos valorizados. Tudo sempre foi uma grande luta na casa para os funcionários conseguirem. Uma pena, pois admiro o trabalho produzido em prol da Defesa do Consumidor e admiro mais ainda os colegas que permanecem na Fundação PROCON. Eu já abandonei a casa, sinto saudade apenas dos colegas e amigos que aí estão e sinto repudio total a gestão desastrosa e RH do lugar que nunca valorizaram o mínimo as pessoas que ali trabalham todos os dias lutando em prol do consumidor, parte hipossuficiente na relação consumerista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *